quinta-feira, 31 de março de 2016

Instituto Vital Brazil vai produzir remédio contra zika


Medicamento vai tratar outras doenças transmitidas pelo Aedes aegypti


O Instituto Vital Brazil aposta na produção de um medicamento fitoterápico para tratar as infecções causadas pelo zika vírus. Em fase inicial de pesquisas, o remédio feito com plantas poderá servir também para o tratamento das demais doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, como a dengue e o chikungunya. Os estudos laboratoriais – in vitro e com cobaias – estão sendo realizados em parceria com pesquisadores das universidades federais do Rio (UFRJ) e Fluminense (UFF). A expectativa é de que os primeiros resultados da pesquisa sejam apresentados até o fim da primeira quinzena de abril. 

"Estamos muito confiantes de que teremos novidades a curto prazo. Pernambuco chamou a atenção para os casos de microcefalia e sua ligação com o vírus da zika e que nós, do Estado do Rio de Janeiro, estamos tendo a chance de atingir resultados positivos em relação ao tratamento destas doenças, inclusive para o atendimento às grávidas", afirmou o novo presidente do instituto, o infectologista Edimilson Migowski.

De acordo com o médico, testes já encaminhados indicam que o fitoterápico pode inibir a replicação de alguns vírus como o da febre amarela, da dengue, e do mayaro vírus, espécie de primo-irmão do chikungunya. A pesquisa está avaliando neste momento a resposta do medicamento às virologias da dengue (tipos 1, 3 e 4), zika e chikungunya. Os estudos estão na fase pré-clínica, que é feita em cobaias. Após essa etapa, os testes poderão ser realizados em humanos.

Produção - Se os resultados a curto prazo surpreenderem positivamente os pesquisadores, o Instituto Vital Brazil assumirá a produção do fitoterápico.

"A ideia é garantir a produção do medicamento. Espaço físico nós temos de sobra para isso. Entretanto, ainda estamos avaliando como isso será realizado, mas estamos muito otimistas com o desenrolar das pesquisas", acrescentou Migowski.

Ex-diretor do Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira (IPPMG) da UFRJ, Edimilson Migowski assumiu a gestão do Vital Brazil, vinculado à Secretaria de Saúde, este mês.

Laboratório oficial - O Instituto Vital Brazil é uma instituição de ciência e tecnologia do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Ele é um dos 21 laboratórios oficiais brasileiros, um dos quatro fornecedores de soros contra o veneno de animais peçonhentos e produtor de medicamentos estratégicos para o Ministério da Saúde.



Fonte:  Portal do Governo do Estado do Rio de Janeiro

terça-feira, 29 de março de 2016

Alunos do Colégio Grafitinho participam de palestra sobre arboviroses





Nesta semana (28 e 29/03), alunos do Colégio Grafitinho, em Icaraí, participaram de palestra sobre arboviroses transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti – dengue, zika e chikungunya.  Realizada pela equipe de Informação, Educação e Comunicação em Saúde, do Centro de Controle de Zoonoses, a ação educativa teve como objetivo despertar nos estudantes a importância de se combater a proliferação do mosquito no ambiente de convívio.  

As agentes Daniele Caviare, Leila Neves e Maria Helena Costa do Carmo desenvolveram a temática por meio de explanação e apresentação de slide-show. Estudantes e professores aprenderam mais sobre as três doenças e seus sintomas, características do inseto, principais medidas de prevenção, e combate aos possíveis criadouros do vetor.  





Participaram da atividade turmas do 1º ao 5º anos do ensino fundamental. Todas demonstraram interesse em conhecer mais sobre o assunto, uma vez que o Aedes Aegypti transmite não apenas o vírus causador da dengue, mas agora os da zika e chikungunya também.  A maioria apresentou alguma dúvida, relato ou questionamento, que foi prontamente debatido e esclarecido.  
O envolvimento do colégio foi bem positivo. As crianças confeccionaram mosquitos de garrafa pet, elaboraram cartazes e painéis, e fixaram todos no pátio e corredores do local.  Também cantaram música de autoria delas. Mobilização total do Grafitinho contra o Aedes aegypti.










segunda-feira, 28 de março de 2016

Alunos fazem o "Caminhada Mosquito Zero" nas ruas do Badu.






“Faça a sua parte porque esse inseto pode matar” e  “A nossa sujeira traz o mosquito que pica e faz dodói”. Essas foram as mensagens que os pequenos combatentes da dengue da Unidade Municipal de Educação Infantil Lisaura Machado Ruas exibiram, por meio de faixas, na Caminhada Mosquito Zero pelas ruas do Badu.  






O evento, promovido pelos professores da escola na última semana (22/03), contou com a participação da agente Patrícia de Oliveira, do setor de Informação, Educação e Comunicação em Saúde (IEC) – Centro de Controle de Zoonoses.

O objetivo da ação foi sensibilizar a comunidade do entorno sobre as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti que, além de transmitir a dengue, agora transmite o zika vírus e o chikungunya. E também incentivar a população a acabar com possíveis criadouros do mosquito nas residências e vias públicas.

Durante a caminhada as crianças desceram a rua da escola com várias faixas, cartazes e panfletos de sensibilização sobre os perigos que o mosquito Aedes aegypti pode provocar e principalmente dicas de como se prevenir; distribuíram panfletos aos transeuntes, aos moradores que ouviram o “apitaço” e foram para as calçadas, aos funcionários e clientes do comércio local, e aos alunos das escolas particulares.






A ação educativa em saúde conseguiu chamar atenção da comunidade e obteve adesão total dos comerciantes, que permitiram a fixação dos cartazes. Um vizinho escritor apoiou tanto a iniciativa que presenteou as crianças com livros novos.




Para Patrícia de Oliveira, o propósito do evento foi alcançado. “Essa caminhada reforçou o que os alunos aprendem e cultivam na escola, e mostra para mais pessoas que o mosquito é muito perigoso e que precisamos da ajuda de todos para combatê-lo.”





quarta-feira, 23 de março de 2016

Plano de Gerenciamento de Resíduos





O Plano de Gerenciamento de Resíduos é o documento que aponta e descreve as ações relativas ao manejo dos resíduos sólidos, observadas suas características e riscos, no âmbito dos estabelecimentos, contemplando os aspectos referentes à geração, segregação, acondicionamento, coleta, armazenamento, transporte, tratamento e disposição final, bem como as ações de proteção à saúde pública e ao meio ambiente.

São considerados geradores de resíduos todos os serviços relacionados com o atendimento à saúde humana ou animal, inclusive os estabelecimentos que comercializam produtos e medicamentos de uso veterinário.

No Controle de Zoonoses do município de Niterói, o PGR é uma condição para emissão de licença sanitária.

Para acessar e baixar o formulário Modelo PGRS, clique no link:
https://drive.google.com/file/d/0B6jWejPsM4M3a2xzOFF2Q3MxLWM/view?usp=sharing




sexta-feira, 18 de março de 2016

CCZ realiza palestra sobre Aedes aegypti no Colégio Gauss




O Centro de Controle de Zoonoses – através do setor de Informação, Educação e Comunicação em Saúde – realizou palestra sobre o mosquito Aedes aegypti para alunos do Ensino Fundamental do Colégio Gauss, em Itaipu nesta terça-feira (15/03).

O objetivo foi despertar nos estudantes a importância de se combater a proliferação do mosquito Aedes aegypti – transmissor dos vírus causadores das doenças dengue, zika e chikungunya – no ambiente de convívio.  

A ação educativa em saúde foi ministrada pelos agentes Élcio Nascimento e Rita de Cássia Oliveira, que desenvolveram a temática com bate-papo interativo, apresentação de slide-show e exibição de vídeo. Turmas do 4º e 5º anos aprenderam mais sobre as três doenças e seus sintomas, características do inseto, principais medidas de prevenção, e combate aos possíveis criadouros do vetor.  

As crianças participaram ativamente, demonstrando interesse em conhecer mais sobre o assunto.  A maioria apresentou alguma dúvida, relato ou questionamento, que foi prontamente debatido e esclarecido.  Ao final, receberam a revistinha de passatempos 10 Minutos Contra a Dengue.

Concomitantemente às exposições teóricas do IEC, a unidade escolar promove a campanha Combate ao Mosquito desde o início do ano letivo.  A iniciativa inclui atividades de confecção de cartazes, produção de desenhos, modelagem em massinhas coloridas, observação em microscópio, entre outras práticas pedagógicas.











Fonte das Imagens:  Élcio Nascimento e Colégio Gauss Itaipu (página Facebook).

Ação educativa sobre a dengue na UMEI Lisaura Machado Ruas





Alunos da Unidade Municipal de Educação Infantil Lisaura Machado Ruas, em Badu, participaram de uma ação educativa sobre a dengue promovida pelo Centro de Controle de Zoonoses de Niterói (CCZ) – através do setor de Informação, Educação e Comunicação em Saúde (IEC) nesta segunda-feira (14/03).

O objetivo foi despertar nos pequenos os cuidados que devem ser tomados para se evitar a doença e, principalmente, para que sejam incentivadores dos hábitos de prevenção em suas casas.

A temática está sendo trabalhada pela unidade nesta semana, e o IEC, representado pela agente Patrícia de Oliveira, a convite da professora Aparecida Maria de Fatima Coutinho, desenvolveu atividade de contação de história do qual o mosquito Dedé (Aedes aegypti) é personagem principal.

As crianças interagiram em todo o tempo, mantiveram-se atentas e participaram expondo o que sabem para evitar a proliferação de mosquitos em casa e na escola.

 




quarta-feira, 16 de março de 2016

Ação educativa sobre Aedes aegypti da UMEI Gabriela Mistral




O setor de Informação, Educação e Comunicação em Saúde – do Centro de Controle de Zoonoses – realizou neste sábado (12/03) ação educativa no evento “Sábado Letivo – UMEI Gabriela Mistral contra o Aedes aegypti”, a convite da direção desta unidade municipal de educação infantil.

A agente Patrícia de Oliveira, desenvolveu diálogo interativo, nos moldes de palestra, com exibição de slide-show.  O objetivo foi sensibilizar a comunidade escolar sobre a importância de cada um fazer a sua parte no combate ao mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, chikungunya e zika –, com a vigilância constante do ambiente de convívio, evitando a água parada em locais que possam servir como criadouros do inseto.

Alunos, pais e professores aprenderam mais sobre as três doenças e seus sintomas, características do mosquito, principais medidas de prevenção, e combate aos possíveis criadouros do vetor. Todos participaram ativamente, apresentaram muitas dúvidas quanto às formas de transmissão das doenças e hábitos do mosquito, que foram prontamente esclarecidas.


O evento

O “Sábado Letivo – UMEI Gabriela Mistral contra o Aedes aegypti” foi um evento promovido pela referida unidade escolar com o objetivo de mobilizar pais, responsáveis e alunos no combate ao principal transmissor dos vírus causadores das doenças dengue, zika e chikungunya no país: o mosquito Aedes aegypti.

No espaço foram expostos trabalhos realizados pelos alunos ao longo da semana (cartazes, painéis, desenhos e maquetes).  Palestras educativas foram apresentadas ao público.   As crianças surpreenderam os pais cantando o “Pancadão da Dengue” e, ao final, distribuíram panfletos, sendo os protagonistas deste dia de conhecimento lúdico e divertido.