quarta-feira, 2 de maio de 2018

Mutirões de combate ao Aedes aegypti no Barreto em nova etapa




A partir de hoje (02/05), até a próxima sexta-feira (04/05), agentes do Serviço de Controle de Vetores, do Centro de Controle de Zoonoses, se unem a profissionais da Secretaria Regional, da Policlínica Regional João Vizella, dos Programas Médico de Família, da CLIN e da Associação de Moradores para mais um mutirão de combate ao Aedes aegypti no Barreto.  Eles percorrerão o bairro em busca de criadouros do vetor e para a eliminação de possíveis focos nos imóveis e vias públicas.

A ação tem o objetivo de dar continuidade aos mutirões iniciados em março no bairro, que visam intensificar os trabalhos já realizados rotineiramente durante o ano todo e mobilizar a população para o combate ao mosquito.




A equipe passará pela área que vai da Rua Presidente Craveiro Lopes até a Rua Dr. March vistoriando casas e comércios, buscando possíveis focos do inseto, aplicando larvicida e inseticida, quando necessário, e distribuindo material informativo.  



O setor de Informação, Educação e Comunicação em Saúde realizará palestras educativas sobre arboviroses para os alunos do Centro Educacional Mendonça de Almeida e do Centro de Ensino Sininho de Ouro.  Nas próximas semanas a equipe dará continuidade nas demais escolas do bairro. Além das unidades de ensino, o IEC também estará na Policlínica Regional Dr. João Vizella desenvolvendo atividade de sala de espera temática com os usuários.

A iniciativa faz parte das estratégias do Comitê de Combate à Dengue da Regional Norte para diminuir a proliferação do inseto na área.  O comitê envolve várias secretarias como a de Conservação e Serviços Públicos, Saúde, Educação, Obras, CLIN (Companhia de Limpeza Urbana de Niterói), além de atores sociais da região – associação de moradores, escolas, unidades de saúde, entre outros. 





Segundo o CCZ, o índice de criadouros de mosquito na cidade está controlado e dentro do padrão instituído pelo Ministério da Saúde. No entanto, devido a possibilidade de aumento dos casos de febre de chikungunya no bairro, a atenção tem que ser redobrada.

Deve haver todo um cuidado com recipientes e espaços que acumulam águas das chuvas, com as caixas d'água. É essencial que ela esteja tampada ou com tela mosquiteira. Ao identificar larvas do mosquito, a equipe aplica o larvicida e recomenda a limpeza do fundo com vassoura, para eliminação de possíveis ovos do mosquito grudados na parede.

Pequenos reservatórios, como vasos de plantas, calhas entupidas, garrafas, bandejas de ar-condicionado, poço de elevador, entre outros, devem ser limpos e escovados pelo menos uma vez por semana; assim, o ciclo de vida do mosquito será interrompido.

Ação diária – Além dos mutirões, as equipes do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) promovem um trabalho intenso de rotina de prevenção e combate ao mosquito Aedes aegypti. Agentes vistoriam diariamente imóveis em todas as regiões do município, combatendo possíveis focos do mosquito e orientando a população. Profissionais do Programa Médico de Família também atuam em parceria com o CCZ na prevenção e combate aos focos do mosquito, nas suas áreas de cobertura. Niterói também possui Comitês Regionais de Combate à Dengue, organizados pelas Policlínicas Regionais, com ações elaboradas de acordo com as características de cada comunidade.







Nenhum comentário:

Postar um comentário