sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Especialistas esclarecem população sobre casos de malária na região serrana do Rio




Foram confirmados casos de malária em indivíduos com histórico de deslocamento para áreas cobertas por Mata Atlântica ou próximas a ela no estado do Rio de Janeiro. São chamados de casos autóctones, cuja transmissão aconteceu nesse período na região serrana do estado do Rio de Janeiro, entre pessoas que visitaram a localidade. Especialistas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que atua como referência em malária para a região extra-Amazônica, tranquilizam a população e orientam como profissionais de saúde, moradores e turistas devem agir em caso de suspeita da doença. Eles reforçam que o diagnóstico rápido é fundamental e divulgam o Malária-Fone, serviço disponível para atender profissionais de saúde que precisem de auxílio em casos suspeitos. 

Mais informações, acesse o link:



Fonte:  Portal Fiocruz


quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Serviço de Captura de Porcos em Niterói




Porcos, quando domesticados, são adotados como animais de companhia ou criados para fim de abate.  Soltos nas ruas, no entanto, representam um grave problema de Saúde Pública e também de Segurança Pública.

Esses animais reviram lixos e se alimentam destes, defecam nas calçadas, sofrem maus tratos e transmitem inúmeras doenças (zoonoses).  São muito ágeis e, quando se sentem acuados, tornam-se extremamente agressivos.  Provocam muitos acidentes de trânsito, sendo vítimas de atropelamentos e/ou causadores de colisões, choques e capotagens.  Por estas razões, o recolhimento desses animais das vias públicas é de extrema importância e necessidade.

O Centro de Controle de Zoonoses de Niterói – através da Seção de Controle da População Animal – realiza a remoção de porcos soltos em via pública e sem proprietário.  Os animais apreendidos são destinados ao curral de uma empresa conveniada com a prefeitura, onde ficam à disposição para resgate por um período de 10 (dez) dias.  Para efetuar o resgate, o proprietário necessita comprovar a propriedade e pagar multa e despesas referentes à permanência deles no local. Os que não são resgatados passam por uma bateria de exames, são vacinados, vermifugados, recebem cuidados veterinários e permanecem em quarentena até serem destinados para leilão.

O CCZ realizou em 2014 várias operações para captura de porcos, culminando na apreensão de 452 animais.  Em 2015 foram 35 porcos até o momento.

O serviço de remoção de porcos das vias públicas do município deve ser solicitado diretamente ao CCZ através do telefone 2625-8441. O atendimento é realizado com a maior rapidez possível, priorizando situações de maior risco.



Colaboração de texto e imagens (1 e 3):  Fábio Vilas Boas, chefe da Seção de Controle da População Animal do CCZ Niterói.



terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Ações de controle da dengue e da leptospirose são intensificadas em Charitas.




Neste sábado (21/02) o Centro de Controle de Zoonoses de Niterói realizou ação operacional e educativa para o controle da dengue e da leptospirose na comunidade do Preventório, bairro Charitas.  Agentes do Serviço de Controle de Vetores percorreram toda a localidade a fim de identificar e eliminar possíveis focos do Aedes aegypti (mosquito transmissor da dengue), e verificar vestígios da presença de roedores.  O objetivo é intensificar ainda mais o controle e a prevenção às doenças no município.

Infestações de mosquitos e roedores ocorrem durante todo o ano em algumas localidades, porém é sempre maior no verão em função da elevação da temperatura e da quantidade de chuvas – fatores que favorecem a eclosão mais rápida de ovos do Aedes aegypti e também a contaminação de pessoas pela bactéria Leptospira através das águas de enchentes.  

Outros locais trabalhados este ano:  Engenho do Mato, em 10/01,   Morro do Abacaxi (Cubango) em 17/01,  Morro do Cavalão (São Francisco) em 24/01,  Morro do Carcarejo e Peixe Galo (Jurujuba) em 31/01, e Engenho do Mato em 07/02.


sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

“Carnaval Sem Dengue” nas unidades de saúde de Niterói




Alertar a população quanto às medidas de prevenção e controle do lixo e, em especial, dos recipientes que acumulam água podendo se transformar em criadouros do mosquito Aedes Aegypti.  Este é o objetivo do “Carnaval Sem Dengue”, uma das ações que está sendo desenvolvida pelo Centro de Controle de Zoonoses durante esta semana que antecede o carnaval.  

Na Policlínica Regional Dr. Sérgio Arouca, bairro Santa Rosa, e na Policlínica Comunitária de Jurujuba, usuários são recebidos pela equipe do setor de Informação, Educação e Comunicação em Saúde (IEC) num estande educativo. Por meio de maquetes, panfletos e leques temáticos, as agentes Daniele Caviare e Leila Neves prestam informações e orientações sobre a melhor maneira de se combater os focos do mosquito no período de carnaval. 

Enquanto todos se divertem, o mosquito não descansa.


Saiba como eliminar os focos do Aedes aegypti:











Niterói realiza o “Carnaval Sem Dengue”.






Alertar a população quanto às medidas de prevenção e controle do lixo e, em especial, dos recipientes que acumulam água podendo se transformar em criadouros do mosquito Aedes Aegypti. Este é o objetivo do “Carnaval Sem Dengue”, uma das ações que está sendo desenvolvida pelo Centro de Controle de Zoonoses durante esta semana que antecede o carnaval.  

Na Rodoviária Governador Roberto Silveira, quem vai curtir a folia ou descansar em outras cidades e quem chega a Niterói é recebido pela equipe do setor de Informação, Educação e Comunicação em Saúde (IEC) num estande educativo.  Por meio de maquetes, panfletos e revistinhas, agentes prestam informações e orientações aos passageiros sobre a melhor maneira de se combater os focos do mosquito no período de carnaval. 

Enquanto todos se divertem, o mosquito não descansa.


Saiba como eliminar os focos do Aedes aegypti:










segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

CCZ reforça ações de controle da dengue e da leptospirose em Jurujuba.






O Centro de Controle de Zoonoses de Niterói – através do Serviço de Controle de Vetores – percorreu neste sábado (07/02) as comunidades do Carcarejo e Peixe Galo, bairro Jurujuba, a fim de identificar e eliminar possíveis focos do Aedes aegypti (mosquito transmissor da dengue), e verificar vestígios da presença de roedores.  A ação operacional e educativa para o controle da dengue e da leptospirose nos locais teve sua segunda e última etapa realizada neste final de semana (a primeira, em 31/01) e contou com a participação de 30 agentes. O objetivo é intensificar ainda mais as ações de controle e prevenção às doenças no município.

Infestações de mosquitos e roedores ocorrem durante todo o ano em algumas localidades, porém é sempre maior no verão em função da elevação da temperatura e da quantidade de chuvas – fatores que favorecem a eclosão mais rápida de ovos do Aedes aegypti e também a contaminação de pessoas pela bactéria Leptospira através das águas de enchentes.  

Outros locais trabalhados em janeiro:  Engenho do Mato, em 10/01,   Morro do Abacaxi (Cubango) em 17/01,  Morro do Cavalão (São Francisco) em 24/01,  e Morro do Carcarejo e Peixe Galo (Jurujuba) em 31/01.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

CCZ encerra treinamento em chikungunya





O Centro de Controle de Zoonoses de Niterói encerrou nesta quinta-feira (05/02) o treinamento em chikungunya promovido aos seus agentes.  Iniciado em janeiro, todas as terças e quintas-feiras, no auditório do Núcleo de Educação Permanente e Pesquisa (NEPP), bairro Centro, a ação educativa contou com 258 participantes ao total das turmas. O objetivo foi fornecer subsídios informativos para o aperfeiçoamento profissional dos servidores.


Ministrada pelo chefe da Seção de Controle Ambiental, Cláudio Moreira, a atividade se desenvolveu de modo descontraído através de explanação temática e apresentação de slide-show e vídeos.  A abordagem incluiu, além da temática principal, a relação homem-meio ambiente, a água no mundo e no país hoje, e as formas atuais de controle do Aedes aegypti.  Moreira destacou a importância do envolvimento dos agentes nas opiniões e debates durante o evento: “A ação educativa teve como objetivo também provocar a reflexão dos participantes sobre questões ambientais amplas, e acredito que conseguimos isso.  Percebemos nas palavras e ideias apresentadas a vontade destes agentes em atender cada vez melhor à população, interferindo, assim, na qualidade de vida do cidadão niteroiense; em outras palavras, um comprometimento com o profissionalismo.  Fico satisfeito pelo nosso trabalho ter contribuído, de certa forma, nesse sentido.”

Segundo o agente Antônio Marcos de Oliveira Coelho, a partir do treinamento os agentes estão capacitados a transmitir a mensagem educativa e a auxiliar na expansão da conscientização coletiva pela busca da qualidade da saúde e do bem estar público: “Acredito que foi positivo e nos mostrou o outro lado de um mesmo inimigo já conhecido que precisávamos aprender.  Mais do que conhecer o novo vírus e a doença, proporcionou a integralização dos conceitos antigos frente aos acontecimentos recentes. Somos educadores, parceiros, e principalmente aliados da saúde pública no que diz respeito a educação coletiva e ao tratamento das ações de incentivo à mobilização da sociedade como um todo.”


Febre de Chikungunya é uma doença infecciosa causada pelo vírus Chikungunya. A transmissão se dá através da picada de fêmeas dos mosquitos do gênero Aedes, sendo o Aedes aegypti e o Aedes albopictus, infectadas pelo vírus CHIKV.  Os sintomas são parecidos com a dengue, porém as dores articulares são bem mais intensas.  O tratamento é sintomático e não existe vacina preventiva.  Surtos da doença têm ocorrido em vários países nos últimos anos, e no Brasil, até novembro do ano passado, mais de mil casos foram registrados pelo Ministério da Saúde.



















quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Dia D contra a dengue e a chikungunya é neste sábado (7)




O Dia D de Combate à dengue e à chikungunya em todo o País está marcado para o próximo sábado (7). Apesar da queda de 59% nos casos de dengue e 40% nas mortes provocadas pela doença no Brasil no ano passado, o Ministério da Saúde pede à população que reforce as medidas de prevenção.

Qualquer recipiente que acumule água parada pode ser um criadouro dos mosquitos transmissores. Estar sempre alerta para eliminar possíveis focos dos mosquitos que transmitem a dengue e a febre chikungunya é importante para que os números de casos e mortes continuem caindo no País.





Saiba mais, acesse o link:


Fonte:  Portal Brasil

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Niterói intensifica ações de combate à dengue e à leptospirose nos finais de semana




Dando continuidade às ações operacionais e educativas para o controle da dengue e da leptospirose em Niterói, o Centro de Controle de Zoonoses – através do Serviço de Controle de Vetores – percorreu neste sábado (31/01) as comunidades do Carcarejo e Peixe Galo, bairro Jurujuba.   Mais de 30 agentes realizaram visitas domiciliares, inspeção de terrenos baldios e outros espaços, a fim de identificar e eliminar possíveis focos do Aedes aegypti (mosquito transmissor da dengue), e verificar vestígios da presença de roedores nos locais. O objetivo é intensificar ainda mais as ações de controle e prevenção às doenças no município.

Infestações de mosquitos e roedores ocorrem durante todo o ano em algumas localidades, porém é sempre maior no verão em função da elevação da temperatura e da quantidade de chuvas – fatores que favorecem a eclosão mais rápida de ovos do Aedes aegypti e também a contaminação de pessoas pela bactéria Leptospira através das águas de enchentes.  

Outros locais trabalhados em janeiro:  Engenho do Mato, em 10/01,   Morro do Abacaxi (Cubango) em 17/01, e Morro do Cavalão (São Francisco) em 24/01.