terça-feira, 30 de janeiro de 2018

PERGUNTAS E RESPOSTAS FEBRE AMARELA






O que é febre amarela (FA)?
A febre amarela (FA) é uma doença viral febril aguda, causada por um arbovírus (vírus transmitido por artrópode), imunoprevenível (que pode ser prevenida com a vacinação), transmitida ao homem e a primatas não humanos (macacos), por meio da picada de mosquitos infectados.

Qual é a diferença entre febre amarela silvestre e urbana?
A Febre Amarela apresenta dois ciclos de transmissão epidemiologicamente distintos: a febre amarela silvestre (FAS), que ocorre em primatas não humanos (macacos) e os principais vetores transmissores são mosquitos silvestres (dos gêneros Haemagogus e Sabethes). O ser humano é contaminado acidentalmente, quando vai para áreas rurais ou silvestres que tem a circulação da febre amarela. O ciclo da Febre Amarela Urbana (FAU) envolve o Homem e é transmitido principalmente pelo Aedes aegypti.

Como a doença é transmitida ?
A febre amarela silvestre é transmitida através da picada de mosquitos Haemagogus e Sabethes, que vivem em matas e vegetações à beira dos rios. A febre amarela urbana é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti (atualmente não temos casos de febre amarela urbana registrados no RJ). Quando o mosquito pica um macaco ou uma pessoa doente, que está com febre amarela, ele torna-se capaz de transmitir o vírus.

Onde ocorre a FA ?
Os primeiros casos da febre amarela no Brasil surgiram no século XVII e, desde então, ela se fixou majoritariamente em áreas silvestres do nosso território. Nessas áreas, quem transmite o vírus da doença são os mosquitos Haemagogus e Sabethes e os macacos são os principais hospedeiros. Nos ambientes urbanos, onde o último caso foi registrado em 1942, o vetor é o popular Aedes aegypti.
Nas últimas décadas, a Febre Amarela (FA) tem sido registrada a ocorrência de casos e epizootias, além dos limites da área considerada endêmica (região amazônica), a exemplo do Espirito Santo, Bahia e Rio de Janeiro.

Quanto tempo leva para que a doença se tornar aparente?
De três a seis dias após ter sido infectada, a pessoa apresenta os sintomas iniciais.


Quais são os sintomas da febre amarela?
Os sintomas iniciais, que duram em torno de três dias, incluem febre de início súbito, calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. O quadro pode evoluir com diminuição da temperatura e alívio dos sintomas, provocando uma sensação de melhora no paciente, com duração de 1 a 2 dias. Em seguida pode reaparecer febre, diarreia e vômitos, com evolução para as formas graves da doença.
Nestes casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia, oligúria (produção de pouca urina), anúria (ausência de urina) e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. Cerca de 20-50% das pessoas que desenvolvem doença grave podem morrer.

O que você deve fazer se apresentar os sintomas?
Ao identificar alguns dos sintomas, procure um médico na unidade de saúde mais próxima e informe sobre qualquer viagem para áreas de risco nos 15 dias anteriores ao início dos sintomas e se você observou morte de macacos próximo aos lugares que você visitou. Informe, ainda, se você tomou a vacina contra a febre amarela, e a data.

A febre amarela é contagiosa?
A doença não é contagiosa, ou seja, não há transmissão de pessoa a pessoa ou entre animais e pessoas. É transmitida somente pela picada de mosquitos infectados com o vírus da febre amarela. É importante reforçar que os macacos não transmitem a doença.

Existe tratamento para a FA?
Não existe um tratamento específico. O médico deve tratar os sintomas, como as dores no corpo e cabeça, com analgésicos e antitérmicos. Salicilatos devem ser evitados (AAS e Aspirina), já que seu uso pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas. O médico deve estar alerta para quaisquer indicações de um agravamento do quadro clínico. Os pacientes que necessitarem de hospitalização devem ter uma cuidadosa assistência, permanecendo em repouso, com reposição de líquidos e das perdas sanguíneas, quando indicado.
Importante: Somente um médico é capaz de diagnosticar e tratar corretamente a doença.

Em quanto tempo sai o resultado de um exame para a identificação do vírus no sangue?
O exame de sorologia fica pronto em 48 horas. Existe também um exame mais específico e complexo que leva, no mínimo, 15 dias, por conta da técnica que é usada para o isolamento do vírus.


Como se previne a doença FA?
A principal forma de prevenção da FA é por meio da vacinação.


Quais outras medidas se previne a doença FA?
Recomenda-se que outras medidas de proteção individual sejam adotadas, principalmente para quem tem alguma contraindicação para receber a vacina como: 
• Usar repelente de insetos de acordo com as indicações do produto; 
•  Proteger a maior extensão possível de pele através do uso de calça comprida, blusas de mangas compridas e sem decotes, de preferência largas, não coladas ao corpo, meias e sapatos fechados; 
•  Evitar, na medida do possível o deslocamento para áreas rurais e, principalmente, adentrar em matas, seja a trabalho ou turismo; 
• Passar o maior tempo possível em ambientes refrigerados, uso de mosquiteiros e telas nas janelas. Atenção às crianças menores de 9 meses de idade, pois não irão receber a vacina, devendo utilizar-se repelente de acordo com as orientações de faixa etária de cada produto, bem como utilizar mosquiteiros e ou ambiente protegido.

O que são áreas com recomendação de vacinação (ACRV) e áreas sem recomendação de vacinação (ASRV) e Área de Recomendação de Vacinação Parcial (ASRVP)?
• Área Com Recomendação de Vacinação (ACRV): Área com registro histórico de febre amarela (FA) silvestre e, portanto, com recomendação permanente de vacinação. 
• Área Sem Recomendação de Vacinação (ASRV): Área sem registro histórico de FA silvestre e, portanto, sem recomendação de vacinação.
• Área de Recomendação de Vacinação Parcial (ASRVP): Área afetada quando registrada em regiões metropolitanas, com grandes centros urbanos e elevados contingentes populacionais, para efeito de priorização das populações sob maior risco e priorização da vacinação para bloqueio de foco.

Qual é a vacina febre amarela utilizada no país e oferecida pelo SUS?
Desde 1937, a vacina utilizada no Brasil, é composta de vírus vivo atenuado, contendo subcepa 17DD do vírus da febre amarela, cultivado em ovos de galinha embrionados livres de germes patogênicos. É produzida no Brasil, pelo Laboratório Bio-Manguinhos, da Fundação Oswaldo Cruz/Fiocruz, do Ministério da Saúde, credenciado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O que é dose fracionada da vacina febre amarela?
É a utilização de um quinto (1/5) de uma dose padrão (0,5 ml) da vacina febre amarela (VFA), ou seja, 0,1 ml. Retira-se do frasco da vacina uma dosagem menor do que habitualmente é utilizado. No entanto, a proteção e segurança da dose fracionada é a mesma do que a dose padrão.

Qual é a diferença da dose fracionada para a dose padrão?
A diferença está na dosagem e no tempo de proteção. Na dose padrão será aplicado 0,5 ml da vacina febre amarela, enquanto da dose fracionada será aplicado 0,1 ml. O tempo de proteção da dose padrão é para toda a vida, já com a dose fracionada ela tem duração de pelo menos 8 anos. Estudos em andamento continuarão a avaliar a proteção posterior a esse período.

Qual a via de administração da vacina febre amarela, dose fracionada?
Via injetável (subcutânea).


O que especialistas dizem a respeito da dose fracionada?
A Organização Mundial da Saúde, em julho de 2016, revisou evidências existentes que demonstraram que o uso de dose fracionada da vacina febre amarela proporciona proteção contra a doença similar à observada com o uso da dose padrão.  Portanto, uma dose fracionada de 1,5, definida como 0,1mL foi recomendada para a utilização (dose padrão consiste de 0,5mL).

Qual é a validade da dose fracionada?
Estudos realizados por Bio-Manguinhos/Fiocruz apontam a presença de anticorpos contra febre amarela, após 8 anos, semelhante ao observado com a dose padrão neste mesmo período. Estudos em andamento continuarão a avaliar a proteção posterior a esse período.

Quando a dose fracionada da vacina febre amarela deve ser utilizada?
A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a utilização da dose fracionada em situações de surtos, quando existe o risco de expansão da doença em cidades com elevado contingente populacional e que exigem intensificação das estratégias de vacinação em curto período de tempo.

Por que a dose fracionada da vacina febre amarela deve ser utilizada?
O uso de doses fracionadas é a melhor maneira de ampliar o suprimento de vacinas e proteger o maior número possível de pessoas, impedindo, portanto, a propagação da febre amarela em situações de emergência.

Quem deverá ter avaliação dos serviços (tanto para a dose padrão como para a fracionada)
• Crianças menores de 9 meses de idade;
• Mulheres amamentando crianças menores de 6 meses de idade;
• Pessoas com alergia grave ao ovo;
• Pessoas que vivem com HIV e que tem contagem de células CD4 menor que 350;
• Pessoas em de tratamento com quimioterapia/ radioterapia;
• Pessoas portadoras de doenças autoimune;
• Pessoas submetidas a tratamento com imunossupressores (que diminuem a defesa do corpo).

Quem não pode tomar a vacina?
•  Crianças menores de 9 meses de idade;
• Mulheres amamentando crianças menores de 6 meses de idade;
•  Pessoas com alergia grave ao ovo;
•  Pessoas que vivem com HIV e que tem contagem de células CD4 menor que 350;
• Pessoas em de tratamento com quimioterapia/ radioterapia;
•  Pessoas portadoras de doenças autoimune;
• Pessoas submetidas a tratamento com imunossupressores (que diminuem a defesa do corpo).

Quem são as pessoas que devem receber a dose padrão da VFA?
•  Pessoas que vivem com HIV e que tem contagem de células CD4 maior que 350;
• Pessoas que terminaram tratamento de quimioterapia e radioterapia;
•  Pessoas com doenças hematológicas (do sangue);
•  Grávidas;
• Crianças de 9 meses a menores de 2 anos de idade;
•  Viajantes internacionais também receberão a dose padrão, uma vez que o Regulamento Sanitário Internacional (RSI) ainda não autorizou a utilização da dose fracionada para a emissão do Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP). Deverá ser apresentado no ato da vacinação, comprovante de viagem (boleto de passagem área ou hotel, convite para participação em eventos internacionais, entre outros) para países que exijam o CIVP para entrada no país.

As pessoas que receberão a dose fracionada receberão o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP)?
Não, pessoas que irão viajar para países para que exijam o CIVP para entrada no país deverão receber uma dose padrão, pois somente essa é válida e dá direito a emissão do CIVP. Deverá ser apresentado no ato da vacinação, comprovante de viagem (boleto de passagem área ou hotel, convite para participação em eventos internacionais, entre outros) para países que exijam o CIVP para entrada no país.

A pessoa residente em município sem recomendação para vacinação contra febre amarela e que irá se deslocar para uma área onde está ocorrendo vacinação contra febre amarela com dose fracionada, deverá receber a dose fracionada ou dose padrão antes da viagem?
Deverá receber a dose padrão, 10 dias antes da viagem.


A pessoa residente no município onde está ocorrendo vacinação contra febre amarela com dose fracionada e que irá se deslocar para uma área com recomendação para vacinação (ACRV) deverá receber a dose fracionada ou dose padrão antes da viagem?
Deverá receber a dose fracionada de acordo com a estratégia local.


Como serão identificadas as pessoas que receberem a dose fracionada da VFA?
O Ministério da Saúde disponibilizará aos estados etiquetas adesivas para a identificação da dose fracionada administrada. Esta etiqueta deve ser preenchida e fixada na Caderneta de Vacinação.

Existe um maior risco de ocorrência de eventos adversos com uma dose fracionada da vacina?
A composição da dose fracionada é mesma vacina de dose padrão e é tão segura e eficaz quanto esta. Não há evidências de aumento de eventos adversos ao usar uma dose fracionada.


Como deve ser realizado o registro da dose fracionada?
Deve ser realizado nominalmente por meio de formulário próprio a ser utilizado pelos serviços de saúde do SUS. As informações contidas neste, devem ser digitadas exclusivamente no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI) por meio do site http://sipni.datasus.gov.br para quem utiliza SIPNI online ou por meio do SIPNI desktop.

Depois de quanto tempo após receber a vacina febre amarela, eu posso doar sangue?
A doação de sangue só poderá ser feita após 28 dias do recebimento da vacina, com isso, o doador poderá procurar o serviço de hemoterapia para realizar a doação antes de receber a vacina.

Como proceder em relação à emissão do Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP) diante da decisão de adotar o fracionamento da Vacina de FA nos estados SP, RJ e BA? Para tanto como se dará a diferenciação entre um comprovante de vacinação fracionado e o padrão?
Caso a pessoa que tomou a dose fracionada necessite do CIVP para viajar, deverá ser vacinada novamente com a dose padrão, respeitando o intervalo mínimo de 30 dias entre as doses. Deverão apresentar no ato da vacinação, comprovante de viagem (boleto de passagem área ou hotel, convite para participação em eventos internacionais, entre outros) e desta forma receberão a dose padrão.

Na caderneta de vacinação das pessoas que serão vacinadas com a dose fracionada haverá uma etiqueta que comprove o recebimento desta dose.

Maiores informações sobre os países que exigem vacinação para febre amarela podem ser obtidas por meio do link: 


Quem são as pessoas que devem receber a dose fracionada da VFA?
Todas as pessoas a partir de 2 anos de idade sem comprovação de vacinação, inclusive idosos e indígenas, exceto aquelas com alguma contraindicação ou com recomendação de receber a dose padrão.

Se a pessoa não reside na área de recomendação da vacina ou não vai se deslocar a essas áreas, precisa vacinar?
Não, a vacina é recomendada para quem reside ou vai se deslocar para as áreas com recomendação para vacinação (ACRV). 

Para maiores informações sobre estas áreas, acessar http://bit.ly/2DfpIcg  e  www.saude.gov.br/viajante


Todas as pessoas que vão viajar para São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia precisam se vacinar?
É necessário avaliar, exatamente, para onde a pessoa vai se deslocar nesses estados, pois existem as seguintes situações a serem consideradas:

• Área Com Recomendação de Vacinação (ACRV): Área com registro histórico de febre amarela (FA) silvestre e, portanto, com recomendação permanente de vacinação.
• Área Sem Recomendação de Vacinação (ASRV): Área sem registro histórico de FA silvestre e, portanto, sem recomendação de vacinação.
• Área de Recomendação de Vacinação Parcial (ASRVP): Área afetada quando registrada em regiões metropolitanas, com grandes centros urbanos e elevados contingentes populacionais, para efeito de priorização das populações sob maior risco e priorização da vacinação para bloqueio de foco.

No entanto, os viajantes com destino aos municípios destes estados (SP, RJ e BA) onde haja circulação do vírus ou registro histórico da doença, sobretudo àqueles que vão se deslocar ou pretendem realizar atividades na zona rural, áreas próximas ou dentro de florestas e que não estão vacinados, ou sem registro de vacina, devem ser vacinados dez dias antes da viagem. Estas pessoas estão mais expostas e apresentam maior risco de contrair a doença.


Os macacos representam algum risco para a população ?
NÃO! Os macacos não são responsáveis pela transmissão, muito pelo contrário: esses animais servem como guias para a elaboração de ações de prevenção. A doença é transmitida por mosquito.  
Os macacos infectados ao morrerem representam um alerta (evento sentinela) para as autoridades sanitárias e moradores de regiões com grandes populações de macacos.  Portanto ao encontrar um animal morto comunique à Secretaria de Saúde.

O que devo fazer se encontrar macacos mortos em alguma região?
Ao encontrar macacos mortos ou doentes (animal que apresenta comportamento anormal, que está afastado do grupo, com movimentos lentos etc.), o cidadão deve informar o mais rápido possível às secretarias de Saúde do município ou do estado do RJ.

Em caso de encontrar animais doentes (ainda vivos) ou mortos, informe ao Centro de Controle de Zoonoses de Niterói pelo telefone (21) 2625-8441.
http://cczniteroirj.blogspot.com.br/2018/01/vigilancia-de-epizootias-em-niteroi.html

Animais encontrados nos demais municípios devem ser notificados para (21) 2333-3899 em horário de expediente ou (21) 98596-6553 após 17h, finais de semana e feriados.


***

POSTOS DE VACINAÇÃO CONTRA A FEBRE AMARELA EM NITERÓI
http://cczniteroirj.blogspot.com.br/2018/02/niteroi-vacinou-65-mil-pessoas-contra.html




Fontes:
Ministério da Saúde /Blog da Saúde
Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro /Febre Amarela RJ
Prefeitura de Niterói

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Prefeitura realiza dia D de vacinação contra febre amarela



   
Com objetivo de reforçar a imunização contra Febre Amarela, o município de Niterói realizou neste sábado, 27/01, o Dia D da campanha de vacinação. Até o início da tarde, 7500 pessoas receberam a dose nos 49 pontos que ofereceram a vacina e funcionaram das 08h às 17 horas recebendo a população. A Fundação Municipal de Saúde mobilizou 700 profissionais para a ação.

Lívia Alfradique, 37 anos, analista de Rh, procurou a Policlínica do Fonseca para receber a dose da vacina e considerou o atendimento muito bom. “Gostei muito do atendimento, foi rápido e bem organizado. A iniciativa de vacinar no sábado foi ótima, já que durante a semana não tenho disponibilidade e flexibilidade de horário”, contou.

A secretária municipal de Saúde, Maria Célia Vasconcellos, acompanhou a ação, conversou com os usuários e profissionais e visitou algumas unidades de saúde. Maria Célia considerou o movimento bom e aproveitou para alertar a população que ainda não recebeu a imunização.

“Embora o município de Niterói não tenha caso confirmado de febre amarela, é importante a população se vacinar. A vacina continua disponível nas 49 unidades de saúde, de segunda a sexta-feira, das 08h às 17h”, disse.

A secretária também falou do bom desempenho da vacinação.

“Apenas esse ano já vacinamos 50 mil pessoas, no ano passado foram 193 mil, é um número muito bom e continuamos empenhados na prevenção da febre amarela”, concluiu Maria Célia.

A campanha, iniciada no último dia 25 segue até o dia 09/02, com o objetivo de intensificar a vacinação. Após esse período, a vacina continua sendo oferecida das unidades. Por determinação do Ministério da Saúde, durante o período de campanha, as doses aplicadas serão fracionadas. Os viajantes, crianças de nove meses a dois anos, gestantes e pessoas com condições clínicas especiais receberam doses integrais. Todos que procuraram pela vacina passaram por uma triagem antes de receber a dose.

Agentes do Centro de Controle de Zoonoses também participaram do Dia D, visitando casa a casa e convocando os moradores que ainda não tinham recebido a vacina. Além disso, realizaram um trabalho de combate ao Aedes Aegypti, mosquito causador da dengue, zika e chikungunya.

O Ministério está seguindo a recomendação da Organização Mundial da Saúde e adotou os padrões internacionais da dose única. Ou seja: quem toma a vacina padrão da febre amarela no Brasil está imunizado pelo resto da vida. Quem tomar a vacina fracionada estará protegido por oito anos.

A vacinação continua de segunda a sexta-feira, das 08 às 17 horas, em todas as policlínicas regionais do município (Centro, Santa Rosa, Fonseca, Largo da Batalha, Itaipu, Barreto e Engenhoca); na Policlínica Comunitária de Jurujuba; nas Clínicas Comunitárias da Família da Teixeira de Freitas, Ilha da Conceição, Badu e Várzea das Moças; nos módulos do Programa Médico de Família do Viçoso, Marítimos, Atalaia, Bernadino, Morro do Céu, Ititioca, Ponta da Areia, Vila Ipiranga, Engenho do Mato, Cantagalo, Sapê, Cafubá I, II e III, Maravista, Matapaca, Caramujo, Jonathas Botelho, Leopoldina, Maruí, Palácio, Preventório I e II, Viradouro, Vital Brazil, Martins Torres, Maceió, Nova Brasília e Grota I e II; nas Unidades Básicas de Santa Bárbara, do Baldeador, Piratininga, Centro, Engenhoca e Morro do Estado; e na Policlínica Naval de Niterói.

A doença – A febre amarela é transmitida através da picada de mosquitos. Os sinais e sintomas mais comuns da doença são: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos que duram, em média, três dias. Nas formas mais graves da doença, podem ocorrer icterícia (olhos e pele amarelados), problemas no fígado e nos rins, hemorragia e cansaço intenso.


Postos de vacinação contra febre amarela em Niterói:

Policlínica Regional Dr. Carlos Antônio da Silva 
Rua Jansen de Mello s/nº – São Lourenço
Tel.: 2717-1426 e 2719-0050


Policlínica Regional Dr. Sérgio Arouca
Praça Vital Brazil s/nº – Santa Rosa
Tel.: 2711-2366


Policlínica Regional Dr. Guilherme Taylor March
Rua Desembargador Lima Castro, 238 – Fonseca
Tel.: 2626-4170


Policlínica Regional do Largo da Batalha
Dr. Francisco da Cruz Nunes Rua Ver. Armando Ferreira, 30 - Largo da Batalha
Tel.: 2616-3633 / 2710-7100


Policlínica Regional de Itaipu Assistente Social Maria Aparecida da Costa
Estrada do Engenho do Mato s/nº – Itaipu
Tel.: 2609-6368 / 2709-1579


Policlínica Regional da Engenhoca Dr. Renato Silva 
Avenida João Brasil, s/nº – Engenhoca
Tel.: 2628-8047 / 3603-8874


Policlínica Regional do Barreto João da Silva Vizella
Rua Luiz Palmier, 726 – Barreto
Tel.: 2719-0141 / 2719-6861


Policlínica Comunitária de Jurujuba
Av. Carlos Ermelindo Marins s/nº – Jurujuba
Tel.: 2704-9638 / 2704-9668


Médico de Família do Engenho do Mato
Estrada Irene Lopes Sodré s/nº – Engenho do Mato
Tel.: 2709-5222


PMF Cantagalo – Haidée Santamaria
Estrada Francisco Cruz Nunes s/nº – Cantagalo
Tel.: 2616-5037


PMF Cafubá I
Av.Raúl de Oliveira Rodrigues, s/nº – Cafubá
Tel.: 2619-0757 / 99225-9679


PMF Cafubá II – Ernesto Che Guevara
Rua Vereador Luiz Erthal, Lt. 05, Qd. 69 – Cafubá
Tel.: 2619-5268


PMF Cafubá III – Alberto Ricardo Hatin
Rua Manoel Pacheco de Carvalho 107 – Piratininga
Tel.: 2709-4374


PMF Maravista – Cte. Manoel Piñeiro Lozada
Rua Astor da Costa Menezes, s/nº – Maravista
Tel.: 2709-0360


PMF Matapaca – Abelardo Ramirez
Rua Aurora Ribeiro, nº 5 – Pendotiba
Tel.: 2617-9269


PMF Badu
Av. Nelson de Oliveira e Silva, 63 – Badu
Tel.: 2718-2283


PMF Caramujo
Rodovia Amaral Peixoto, s/nº - Baldeador
Tel.: 2625-946


PMF Sapê
Rua E,  s/nº - Sapê
Tel.: 97691-7231


PMF Jonathas Botelho
Trav. Jonathas Botelho, 133 – Cubango
Tel.: 2710-6367


PMF Leopoldina
Rua George Allan s/nº – Largo dos Barradas – Barreto
Tel.: 2624-0017


PMF Maruí
Rua Monsenhor Raeder, 151 – Barreto
Tel.: 3714-2173


Clínica Comunitária da Família de Várzea Das Moças Dr. Tobias Tostes Machado 
Estrada Velha de Maricá s/nº – Várzea das Moças
Tel.: 3602-8057


Clínica Comunitária da Família da Teixeira de Freitas
Rua Teixeira de Freitas s/nº – Fonseca
Tel.: 99775-3421


CCF Ilha da Conceição
Rua Jornalista Sardo Filho, 196 – Ilha da Conceição
Tel.: 2620-6671


PMF Marítimos
Rua Machado, s/nº - Barreto
Tel.:3703-3265


PMF Viçoso
Estrada Viçoso Jardim, s/nº
Tel.: 2618-8295


PMF Atalaia
Rua Padre José Euger, s/nº – Atalaia 
Tel.:2618-7616


UBS Baldeador – Deputado José Sally
Loteamento Bento Pestana s/nº – Morro do Castro
Tel.: 2624-1224 / 2722-3761


PMF Bernadino
Rua Sá Barreto, s/nº – Fonseca
Tel.:2721-7131


PMF Morro do Céu
Est. Viçoso Jardim, 357 - Caramujo
Tel.: 99641-2165


UBS Piratininga – Dom Luiz Orione
Av. dos Pescadores – Lotes 2,3 e 4 – Piratininga
Tel.: 2618-2654


UBS Santa Bárbara – Adelino de Mendonça e Silva
Rua Jandira Pereira, 625 – Santa Bárbara
Tel: 2627-6303


PMF Ititioca
Rua Vila Costa Monteiro, s/nº - Ititioca
Tel.: 2610-0852


PMF Ponta da Areia
Rua Coronel Miranda, nº 18 - Ponta D'Areia
Tel.: 97198783


PMF Vila Ipiranga
Rua Tenente Ozório, s/nº – Fonseca
Tel.: 2625-3821


PMF Palácio
Rua 11 de Agosto, nº 4 - Ingá

Tel.: 2722-0146 / 96669-9139


PMF Viradouro
Rua Mario Viana, 790 – Viradouro
Tel.: 2711-8369 / 96855-8279


PMF Vital Brazil
Rua João da Lossi – Trav. F, nº 8 – Vital Brazil
Tel.: 2610-1904 / 96863-5799


PMF Preventório I
Travessa Carmita, s/nº - Charitas
Tel.: 2715-4313 / 96687-1055


PMF Preventório II
Av.Quintino Bocaiúva, s/nº - Charitas
Tel: 3701-0161 / 96804-5986


PMF Martins Torres
Rua Martins Torres, 281
Tel.: 97338-6915


PMF Nova Brasília
Rua Professor João Brasil, 1726 – Engenhoca
Tel.: 3706-7519 / 96653-3185


PMF Grota I
Rua Albino Pereira, 615 – São Francisco
Tel.: 2710-1061 / 99365-4086


PMF Grota II
Rua Arcedino Pereira, 335 – São Francisco
Tel.: 2602-2394 / 99353-0002


PMF Maceió
Rua José Bento Vieira Ferreira, s/nº - Largo da Batalha
Tel.: 3611-0918 / 99448-6237

UBS Centro
Rua Visconde de Uruguai, 531 – Centro
Tel.: 2620-8226


UBS Engenhoca
Rua Coronel Guimarães, 724 – Engenhoca 
Tel.:2628-8656


UBS Morro do Estado
Rua Araujo Pimenta, s/nº
Tel.: 2622-1010


Policlínica Naval (Marinha)
Rua Barão de Jaceguaí, 289 – Ponta da Areia



Fonte:  Prefeitura Municipal de Niterói 




sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Dia D de vacinação contra Febre Amarela vai ser neste sábado!





Neste sábado (27/01) será o DIA D de Vacinação Contra a Febre Amarela.  Ainda não se vacinou? Não deixe de ir! A vacina estará disponível em 49 pontos de vacinação, distribuídos em diferentes bairros de Niterói, das 8h às 17h. 

Embora o município não tenha apresentado casos da doença, é fundamental que a população procure as unidades de saúde para receber a vacina contra febre amarela. A campanha teve início nesta quinta-feira (25/01) e seguirá até o dia 09/2, de segunda a sexta. Não deixe de tomar a vacina! 

Importante lembrar que crianças, até 15 anos, precisam levar a carteirinha de vacinação e todas as pessoas que procuram pela vacina passem por uma triagem antes de receber a dose para avaliação da necessidade ou não de indicação médica.

Contraindicação – A vacina é contraindicada para pessoas com alergia a algum componente da vacina e alergia a ovos e derivados; pessoas com doença febril aguda, com comprometimento do estado geral de saúde; ou ainda pacientes com doenças que causam alterações no sistema de defesa (nascidas com a pessoa ou adquiridas), assim como terapias imunossupressoras – quimioterapia e doses elevadas de corticosteroides, por exemplo; indivíduos portadores de Lúpus Eritematoso Sistêmico ou com outras doenças autoimunes; pacientes que tenham apresentado doenças neurológicas de natureza desmielinizante (Síndrome de Guillain-Barré, ELA, entre outras) no período de seis semanas após a aplicação de dose anterior da vacina; pacientes transplantados de medula óssea; pacientes com histórico de doença do Timo; crianças menores de seis meses de idade; crianças menores de dois anos de idade que não tenham sido vacinadas contra febre amarela não devem receber as vacinas tríplice viral ou tetra viral junto com a vacina contra FA. O intervalo entre as vacinas deve ser de 30 dias.

A doença – A febre amarela é transmitida através da picada de mosquitos. Os sinais e sintomas mais comuns da doença são: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos que duram, em média, três dias. Nas formas mais graves da doença, podem ocorrer icterícia (olhos e pele amarelados), problemas no fígado e nos rins, hemorragia e cansaço intenso.


Confira aqui os endereços dos novos pontos:

Postos de vacinação contra febre amarela em Niterói

Policlínica Regional Dr. Carlos Antônio da Silva 
Rua Jansen de Mello s/nº – São Lourenço
Tel.: 2717-1426 e 2719-0050


Policlínica Regional Dr. Sérgio Arouca
Praça Vital Brazil s/nº – Santa Rosa
Tel.: 2711-2366


Policlínica Regional Dr. Guilherme Taylor March
Rua Desembargador Lima Castro, 238 – Fonseca
Tel.: 2626-4170


Policlínica Regional do Largo da Batalha
Dr. Francisco da Cruz Nunes Rua Ver. Armando Ferreira, 30 - Largo da Batalha
Tel.: 2616-3633 / 2710-7100


Policlínica Regional de Itaipu Assistente Social Maria Aparecida da Costa
Estrada do Engenho do Mato s/nº – Itaipu
Tel.: 2609-6368 / 2709-1579


Policlínica Regional da Engenhoca Dr. Renato Silva 
Avenida João Brasil, s/nº – Engenhoca
Tel.: 2628-8047 / 3603-8874


Policlínica Regional do Barreto João da Silva Vizella
Rua Luiz Palmier, 726 – Barreto
Tel.: 2719-0141 / 2719-6861


Policlínica Comunitária de Jurujuba
Av. Carlos Ermelindo Marins s/nº – Jurujuba
Tel.: 2704-9638 / 2704-9668


Médico de Família do Engenho do Mato
Estrada Irene Lopes Sodré s/nº – Engenho do Mato
Tel.: 2709-5222


PMF Cantagalo – Haidée Santamaria
Estrada Francisco Cruz Nunes s/nº – Cantagalo
Tel.: 2616-5037


PMF Cafubá I
Av.Raúl de Oliveira Rodrigues, s/nº – Cafubá
Tel.: 2619-0757 / 99225-9679


PMF Cafubá II – Ernesto Che Guevara
Rua Vereador Luiz Erthal, Lt. 05, Qd. 69 – Cafubá
Tel.: 2619-5268


PMF Cafubá III – Alberto Ricardo Hatin
Rua Manoel Pacheco de Carvalho 107 – Piratininga
Tel.: 2709-4374


PMF Maravista – Cte. Manoel Piñeiro Lozada
Rua Astor da Costa Menezes, s/nº – Maravista
Tel.: 2709-0360


PMF Matapaca – Abelardo Ramirez
Rua Aurora Ribeiro, nº 5 – Pendotiba
Tel.: 2617-9269


PMF Badu
Av. Nelson de Oliveira e Silva, 63 – Badu
Tel.: 2718-2283


PMF Caramujo
Rodovia Amaral Peixoto, s/nº - Baldeador
Tel.: 2625-946


PMF Sapê
Rua E,  s/nº - Sapê
Tel.: 97691-7231


PMF Jonathas Botelho
Trav. Jonathas Botelho, 133 – Cubango
Tel.: 2710-6367


PMF Leopoldina
Rua George Allan s/nº – Largo dos Barradas – Barreto
Tel.: 2624-0017


PMF Maruí
Rua Monsenhor Raeder, 151 – Barreto
Tel.: 3714-2173


Clínica Comunitária da Família de Várzea Das Moças Dr. Tobias Tostes Machado 
Estrada Velha de Maricá s/nº – Várzea das Moças
Tel.: 3602-8057


Clínica Comunitária da Família da Teixeira de Freitas
Rua Teixeira de Freitas s/nº – Fonseca
Tel.: 99775-3421


CCF Ilha da Conceição
Rua Jornalista Sardo Filho, 196 – Ilha da Conceição
Tel.: 2620-6671


PMF Marítimos
Rua Machado, s/nº - Barreto
Tel.:3703-3265


PMF Viçoso
Estrada Viçoso Jardim, s/nº
Tel.: 2618-8295


PMF Atalaia
Rua Padre José Euger, s/nº – Atalaia 
Tel.:2618-7616


UBS Baldeador – Deputado José Sally
Loteamento Bento Pestana s/nº – Morro do Castro
Tel.: 2624-1224 / 2722-3761


PMF Bernadino
Rua Sá Barreto, s/nº – Fonseca
Tel.:2721-7131


PMF Morro do Céu
Est. Viçoso Jardim, 357 - Caramujo
Tel.: 99641-2165


UBS Piratininga – Dom Luiz Orione
Av. dos Pescadores – Lotes 2,3 e 4 – Piratininga
Tel.: 2618-2654


UBS Santa Bárbara – Adelino de Mendonça e Silva
Rua Jandira Pereira, 625 – Santa Bárbara
Tel: 2627-6303


PMF Ititioca
Rua Vila Costa Monteiro, s/nº - Ititioca
Tel.: 2610-0852


PMF Ponta da Areia
Rua Coronel Miranda, nº 18 - Ponta D'Areia
Tel.: 97198783


PMF Vila Ipiranga
Rua Tenente Ozório, s/nº – Fonseca
Tel.: 2625-3821


PMF Palácio
Rua 11 de Agosto, nº 4 - Ingá

Tel.: 2722-0146 / 96669-9139


PMF Viradouro
Rua Mario Viana, 790 – Viradouro
Tel.: 2711-8369 / 96855-8279


PMF Vital Brazil
Rua João da Lossi – Trav. F, nº 8 – Vital Brazil
Tel.: 2610-1904 / 96863-5799


PMF Preventório I
Travessa Carmita, s/nº - Charitas
Tel.: 2715-4313 / 96687-1055


PMF Preventório II
Av.Quintino Bocaiúva, s/nº - Charitas
Tel: 3701-0161 / 96804-5986


PMF Martins Torres
Rua Martins Torres, 281
Tel.: 97338-6915


PMF Nova Brasília
Rua Professor João Brasil, 1726 – Engenhoca
Tel.: 3706-7519 / 96653-3185


PMF Grota I
Rua Albino Pereira, 615 – São Francisco
Tel.: 2710-1061 / 99365-4086


PMF Grota II
Rua Arcedino Pereira, 335 – São Francisco
Tel.: 2602-2394 / 99353-0002


PMF Maceió
Rua José Bento Vieira Ferreira, s/nº - Largo da Batalha
Tel.: 3611-0918 / 99448-6237

UBS Centro
Rua Visconde de Uruguai, 531 – Centro
Tel.: 2620-8226


UBS Engenhoca
Rua Coronel Guimarães, 724 – Engenhoca 
Tel.:2628-8656


UBS Morro do Estado
Rua Araujo Pimenta, s/nº
Tel.: 2622-1010


Policlínica Naval (Marinha)
Rua Barão de Jaceguaí, 289 – Ponta da Areia



Fonte:  Prefeitura Municipal de Niterói